Blog

Prof. Dr. Tiago Bilhim

Indicações Pós Cirúrgicas – Embolização Prostática

Embolização prostática
A Embolização Prostática funciona para tratar as minhas queixas urinárias?

Nos 1500 doentes já tratados por nós, observou-se melhoria significativa inicial em 85% a 90% e a longo prazo em cerca de 75% a 80%.

Isto quer dizer que existe o risco de 1 a 2 doentes em cada 10 doentes que tratamos não melhorar ou não melhorar tanto como estaria à espera.

Isto também pode acontecer após a cirurgia clássica, uma vez que as queixas poderão não ser sempre causadas apenas pela próstata mas, também, pela bexiga.

No pequeno número de doentes que podem não melhorar, contudo, a sua situação médica não sofre qualquer agravamento e não há complicações associadas.

Nos doentes tratados com êxito verifica-se uma melhoria dos sintomas e das queixas urinárias que pode ser imediata em alguns doentes ou demorar até um mês para surtir efeito.

Se até ao final do primeiro mês não melhorou, será pouco provável que venha a melhorar substancialmente.

A maioria dos doentes tratados com embolização prostática melhora muito das queixas urinárias podendo suspender os medicamentos que há anos tomavam para a HBP (hiperplasia benigna da próstata).

A Embolização Prostática funciona para tratar os doentes com algália porque não conseguem urinar?

Alguns doentes vêm ter connosco não por ter queixas ou dificuldades urinárias mas porque estão completamente obstruídos, ou seja, em retenção urinária.

Nestes casos não conseguem urinar e é necessário colocar uma algália.

Nos 200 doentes que estavam com algália por causa da HBP e que nós tratamos com a embolização prostática, 190 retiraram a algália 1 a 4 semanas após a embolização, urinando sem qualquer dificuldade e sem medicação.

A Embolização Prostática dói ou tem complicações?

Não. A maioria dos doentes não sente qualquer dor durante a embolização. As complicações são as de qualquer cateterismo, sendo as mais frequentes, o hematoma no local da punção e a equimose, ou seja, a cor roxa da coxa ou no antebraço e mesmo no abdómen.

Muito raramente os doentes podem sentir alguma dificuldade em urinar após a embolização.

Sangue na urina pode ocorrer nalguns doentes, o que pode durar alguns dias, mas que passa sem qualquer tratamento. Muito raros (2%) são a existência temporária de sangue nas fezes ou  no esperma.

Alguns pacientes poderão sentir algum ardor quando urinam ou no ânus que dura apenas algumas horas a dias (3 a 5 dias após a embolização prostática). Na noite a seguir ao tratamento o doente poderá urinar varias vezes mas no dia seguinte estará normal.

Contudo, estas reações adversas desaparecem ao fim de 3 a 5 dias sem qualquer tipo de intervenção. São raros os doentes que sentem alguma dor.

Na esmagadora maioria dos doentes a embolização prostática é totalmente indolor, têm alta 4 a 6 horas após o tratamento não tendo de ficar internados.

Podem comer e fazer a vida habitual imediatamente após a embolização e o retorno às atividades  de vida diária é imediato, sem dor, sem necessidade de algaliação e sem complicações.

Será a minha potência sexual afetada?

Dos mais de 1500 pacientes tratados desde Março de 2009, a função sexual não foi afetada em nenhum, referindo cerca de 400 dos pacientes a sua melhoria. No entanto, é um risco muito raro que poderá existir logo após a embolização, mas que recupera.

Dez dos pacientes tratados foram pais após a embolização, havendo já 13 recém-nascidos saudáveis.

Quais são os riscos associados à embolização na hiperplasia benigna da próstata?

Como a técnica é indolor e muito segura, praticamente sem complicações associadas, costumamos dizer aos doentes que o maior risco que correm é de não melhorar das queixas urinárias ou não melhorar tanto quanto gostariam.

Nestes casos o acompanhamento é feito pela nossa equipa multidisciplinar entre radiologistas de intervenção e urologistas com o intuito de oferecer as melhores opções de tratamento aos doentes seguidos por nós.

Graças aos bons resultados e poucas complicações, a embolização prostática para tratar a HBP (hiperplasia benigna da próstata) está a ser efetuada em vários centros mundiais, sendo que nós somos um dos centros de referência com mais experiência a nível mundial.

Já se deslocaram mais de 100 equipas de médicos estrangeiros para aprender a técnica connosco.

O que acontece à próstata após a embolização prostática?

Como resultado, pode verificar-se uma redução progressiva das dimensões da próstata, que varia entre 10 e 60%. Contudo, cerca de 10% dos doentes melhoram sem que haja alteração das dimensões da próstata.

A não redução do volume da próstata ocorre sobretudo nos doentes que tomam comprimidos à base de dutasteride ou finasteride que reduzem o volume antes da embolização.

Como após a embolização deixam de os tomar, a próstata tem tendência a crescer, fato que é compensado pela embolização que corta parte da circulação prostática.

A embolização efetua-se para melhoria dos sintomas da HBP, e não para a redução do seu volume, que, contudo, pode ocorrer na maioria dos doentes. Geralmente realizamos ecografias prostáticas para acompanhamento da redução volumétrica da próstata.

Poderei repetir a Embolização Prostática se não melhorar?

Sim, 1 ano depois, se não melhorar ou se houver recorrência dos sintomas e se as artérias prostáticas o permitirem.

Nestes casos a avaliação deverá ser feita pela equipa multidisciplinar de radiologistas de intervenção e urologistas para avaliar as diferentes opções de tratamento e qual a melhor.

Nos doentes que nunca melhoraram com a primeira embolização prostática as hipóteses de sucesso com a repetição são bastante mais baixas do que nos doentes que tiveram recidiva das queixas urinárias.

Como será o meu seguimento?

A equipa de radiologistas de intervenção e urologistas seguirá todos os doentes tratados após a embolização prostática. A avaliação feita após a embolização prostática é feita 1, 6 e 12 meses após o tratamento e anualmente de aí em diante.

Nesta avaliação os doentes preenchem vários questionários para averiguar a melhoria dos sintomas urinários e da função sexual.

Realizam ainda ecografias prostáticas para avaliara redução do volume prostático, análises sanguíneas para vigiar os níveis de PSA (prostate specific antigen) e realizam urofluxometria para avaliar a força do jacto urinário e se fica muita urina na bexiga após urinar.

Indicações Pós Cirúrgicas – Embolização Prostática

Embolização prostática
A Embolização Prostática funciona para tratar as minhas queixas urinárias?

Nos 1500 doentes já tratados por nós, observou-se melhoria significativa inicial em 85% a 90% e a longo prazo em cerca de 75% a 80%.

Isto quer dizer que existe o risco de 1 a 2 doentes em cada 10 doentes que tratamos não melhorar ou não melhorar tanto como estaria à espera.

Isto também pode acontecer após a cirurgia clássica, uma vez que as queixas poderão não ser sempre causadas apenas pela próstata mas, também, pela bexiga.

No pequeno número de doentes que podem não melhorar, contudo, a sua situação médica não sofre qualquer agravamento e não há complicações associadas.

Nos doentes tratados com êxito verifica-se uma melhoria dos sintomas e das queixas urinárias que pode ser imediata em alguns doentes ou demorar até um mês para surtir efeito.

Se até ao final do primeiro mês não melhorou, será pouco provável que venha a melhorar substancialmente.

A maioria dos doentes tratados com embolização prostática melhora muito das queixas urinárias podendo suspender os medicamentos que há anos tomavam para a HBP (hiperplasia benigna da próstata).

A Embolização Prostática funciona para tratar os doentes com algália porque não conseguem urinar?

Alguns doentes vêm ter connosco não por ter queixas ou dificuldades urinárias mas porque estão completamente obstruídos, ou seja, em retenção urinária.

Nestes casos não conseguem urinar e é necessário colocar uma algália.

Nos 200 doentes que estavam com algália por causa da HBP e que nós tratamos com a embolização prostática, 190 retiraram a algália 1 a 4 semanas após a embolização, urinando sem qualquer dificuldade e sem medicação.

A Embolização Prostática dói ou tem complicações?

Não. A maioria dos doentes não sente qualquer dor durante a embolização. As complicações são as de qualquer cateterismo, sendo as mais frequentes, o hematoma no local da punção e a equimose, ou seja, a cor roxa da coxa ou no antebraço e mesmo no abdómen.

Muito raramente os doentes podem sentir alguma dificuldade em urinar após a embolização.

Sangue na urina pode ocorrer nalguns doentes, o que pode durar alguns dias, mas que passa sem qualquer tratamento. Muito raros (2%) são a existência temporária de sangue nas fezes ou  no esperma.

Alguns pacientes poderão sentir algum ardor quando urinam ou no ânus que dura apenas algumas horas a dias (3 a 5 dias após a embolização prostática). Na noite a seguir ao tratamento o doente poderá urinar varias vezes mas no dia seguinte estará normal.

Contudo, estas reações adversas desaparecem ao fim de 3 a 5 dias sem qualquer tipo de intervenção. São raros os doentes que sentem alguma dor.

Na esmagadora maioria dos doentes a embolização prostática é totalmente indolor, têm alta 4 a 6 horas após o tratamento não tendo de ficar internados.

Podem comer e fazer a vida habitual imediatamente após a embolização e o retorno às atividades  de vida diária é imediato, sem dor, sem necessidade de algaliação e sem complicações.

Será a minha potência sexual afetada?

Dos mais de 1500 pacientes tratados desde Março de 2009, a função sexual não foi afetada em nenhum, referindo cerca de 400 dos pacientes a sua melhoria. No entanto, é um risco muito raro que poderá existir logo após a embolização, mas que recupera.

Dez dos pacientes tratados foram pais após a embolização, havendo já 13 recém-nascidos saudáveis.

Quais são os riscos associados à embolização na hiperplasia benigna da próstata?

Como a técnica é indolor e muito segura, praticamente sem complicações associadas, costumamos dizer aos doentes que o maior risco que correm é de não melhorar das queixas urinárias ou não melhorar tanto quanto gostariam.

Nestes casos o acompanhamento é feito pela nossa equipa multidisciplinar entre radiologistas de intervenção e urologistas com o intuito de oferecer as melhores opções de tratamento aos doentes seguidos por nós.

Graças aos bons resultados e poucas complicações, a embolização prostática para tratar a HBP (hiperplasia benigna da próstata) está a ser efetuada em vários centros mundiais, sendo que nós somos um dos centros de referência com mais experiência a nível mundial.

Já se deslocaram mais de 100 equipas de médicos estrangeiros para aprender a técnica connosco.

O que acontece à próstata após a embolização prostática?

Como resultado, pode verificar-se uma redução progressiva das dimensões da próstata, que varia entre 10 e 60%. Contudo, cerca de 10% dos doentes melhoram sem que haja alteração das dimensões da próstata.

A não redução do volume da próstata ocorre sobretudo nos doentes que tomam comprimidos à base de dutasteride ou finasteride que reduzem o volume antes da embolização.

Como após a embolização deixam de os tomar, a próstata tem tendência a crescer, fato que é compensado pela embolização que corta parte da circulação prostática.

A embolização efetua-se para melhoria dos sintomas da HBP, e não para a redução do seu volume, que, contudo, pode ocorrer na maioria dos doentes. Geralmente realizamos ecografias prostáticas para acompanhamento da redução volumétrica da próstata.

Poderei repetir a Embolização Prostática se não melhorar?

Sim, 1 ano depois, se não melhorar ou se houver recorrência dos sintomas e se as artérias prostáticas o permitirem.

Nestes casos a avaliação deverá ser feita pela equipa multidisciplinar de radiologistas de intervenção e urologistas para avaliar as diferentes opções de tratamento e qual a melhor.

Nos doentes que nunca melhoraram com a primeira embolização prostática as hipóteses de sucesso com a repetição são bastante mais baixas do que nos doentes que tiveram recidiva das queixas urinárias.

Como será o meu seguimento?

A equipa de radiologistas de intervenção e urologistas seguirá todos os doentes tratados após a embolização prostática. A avaliação feita após a embolização prostática é feita 1, 6 e 12 meses após o tratamento e anualmente de aí em diante.

Nesta avaliação os doentes preenchem vários questionários para averiguar a melhoria dos sintomas urinários e da função sexual.

Realizam ainda ecografias prostáticas para avaliara redução do volume prostático, análises sanguíneas para vigiar os níveis de PSA (prostate specific antigen) e realizam urofluxometria para avaliar a força do jacto urinário e se fica muita urina na bexiga após urinar.

Marque a sua Consulta

Submeta o formulário em baixo para marcar a sua consulta com o Dr. Tiago

tiago bilhim

Marque a sua Consulta

Submeta o formulário em baixo para marcar a sua consulta com o Dr. Tiago

tiago bilhim
2020-09-29T11:56:33+00:00